Outubro Rosa: autocuidado e empoderamento feminino foi tema de evento no Núcleo Cível

O Centro de Apoio da Cidadania realizou um evento de empoderamento feminino, na tarde desta segunda-feira (8/10), como parte das ações do MPPB de apoio ao movimento 'Outubro Rosa'. A ação foi destinada às mulheres que trabalham no Núcleo Cível. No evento, foi realizada uma dinâmica com o objetivo de despertar para a importância do autocuidado e da prevenção do Câncer de mama. Também foi apresentado o material de formação sobre o empoderamento feminino e realizado um momento de bem-estar com as participantes.

O evento foi realizado pelas promotoras de Justiça, Elaine Cristina Alencar, coordenadora do CAO Cidadania, e Dulcerita Alves, promotora auxiliar de Defesa da Mulher da Capital, em parceria com a advogada Marília Albernaz. A promotora Elaine Alencar explicou que as ações do Outubro Rosa são excelentes oportunidades para apresentar trabalhar o empoderamento das mulheres, com momentos motivacionais, como o realizado, as mulheres podem ascender ao conhecimento de que cuidado e respeito andam de mãos juntas.

“Promover o empoderamento da mulher quer dizer conferir condições para que torne-se mais forte e, partir do sentimento de segurança e autoconfiança, possa crescer como pessoa e profissional. Por desconhecimento, o empoderamento de mulheres e meninas ainda é visto com olhar desvirtuado e não poucas vezes é menosprezado. Ter ciência que o empoderamento feminino não significa declarar superioridade aos homens, mas ao contrário, é a luta é pela igualdade de oportunidades para homens e mulheres, é fundamental para compreender que a igualdade é benéfica para a sociedade com um todo”, disse Elaine Alencar.

A promotora Dulcerita Aves falou sobre o autocuidado e sua relação com a vida: “Enquanto atuo no enfrentamento à violência doméstica e familiar, busco a valorização da vida da mulher e a prevenção do feminícidio. Todavia, no mês de outubro, a vida da mulher também é preservada de outro modo, pois, muitas vidas são preservadas com as campanhas do Outubro Rosa e o diagnóstico precoce do câncer de mama. Temos que lembrar que, antes de tudo, a mulher deve se amar e o amor próprio passa também pelo autocuidado”.

A advogada Marília Albernaz disse que histórias de mulheres que lutam pela igualdade devem difundidas “para que, cada vez mais, as pessoas possam enxergar que a desigualdade histórica entre homens e mulheres existe de fato e que é preciso lutar para vencê-la”.

A servidora do Ministério Público, uma das participantes da ação, Marlene Marcolino, aprovou o evento: “Foi uma tarde maravilhosa de empoderamento. Ser mulher, ser valorizada como tal, me faz sentir muito feliz. Sou apenas uma de tantas mulheres empoderadas do MP”. A mesma opinião foi partilhada pela prestadora de serviço, Maria José Marques: "Eu amei! Na verdade a gente não se cuida. E esse momento eu achei especial".