Colégio aprova voto de pesar pela morte de Rômulo Gouveia e se solidariza com promotor que perdeu a mãe

A 9ª sessão ordinária do Colégio de Procuradores do Ministério Público da Paraíba (MPPB), na tarde desta segunda-feira (14), foi marcada pela aprovação, por unanimidade, do voto de pesar pela morte precoce do deputado federal, Rômulo Gouveia, ocorrida na madrugada do último domingo (13). Na mesma sessão, os membros também se solidarizaram com o promotor João Geraldo, que perdeu a genitora, às vésperas do Dia das Mães.

A sessão foi presidida pelo 1º subprocurador-geral de Justiça, Alcides Orlando de Moura Jansen, que registrou a morte do deputado federal, lembrando que, há 15 anos, ele foi agraciado com a Medalha José Américo de Almeida, patrono do Ministério Público. “O Ministério Público se solidariza à família do deputado Rômulo. Neste momento, seu corpo está sendo velado e logo mais será sepultado na cidade de Campina Grande”, informou.

Os membros ressaltaram a postura do político, que sempre apoiou as demandas do Ministério Público, na Câmara Federal. Todos os membros destacaram a figura humana de Rômulo, como ele se doava às causas da Paraíba e como representava bem a classe política. Assim, o voto de pesar foi aprovado pelos procuradores de Justiça presentes à sessão: Lúcia de Fátima Maia de Farias, Kátia Rejane de Medeiros Lira Lucena, José Raimundo de Lima, Álvaro Cristino Pinto Gadelha Campos, José Roseno Neto, Nelson Antônio Cavalcante Lemos, Marilene de Lima Campos de Carvalho, Valberto Cosme de Lira, Luciano de Almeida Maracajá, Herbert Douglas Targino e Joaci Juvino da Costa Silva.

Solidariedade a João Geraldo

Os membros do Colégio também aprovaram um voto de pesar ao promotor de Justiça, João Geraldo Barbosa, pelo falecimento de sua mãe, Mariniz Stella Carneiro Barbosa, na última sexta-feira. Os procuradores de Justiça relembraram o quanto o promotor foi um filho zeloso, dedicado e amoroso e todos se solidarizaram a ele e aos parentes, pela dor da perda. Ambos os votos de pesar serão encaminhados aos familiares dos falecidos.

A sessão foi encerrada logo depois dos informes, porque alguns itens da pauta dependia de membros ausentes, entre eles o procurador-geral de Justiça, Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho, que foi a Brasília tratar sobre assuntos de interesse do Ministério Público da Paraíba, junto ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ).