Integrantes dos Ministérios Públicos do Pará, Mato Grosso do Sul e Militar visitam o Núcleo de Gestão do Conhecimento do MPPB

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) recebeu, na tarde desta quarta-feira (13), a visita de integrantes dos Ministérios Públicos do Pará (MPPA), do Mato Grosso do Sul (MPMS) e Militar (MPM), que se inteiraram das ferramentas criadas pelo Núcleo de Gestão do Conhecimento e Segurança Institucional (NGCSI), o qual tem como coordenador o promotor de Justiça Octávio Paulo Neto, que também coordena o Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco).

O promotor de Justiça e Coordenador do Centro de Apoio Operacional Criminal do MPPA, José Maria Costa Lima Junior, explica que a visita ao NGCSI se deve ao reconhecimento do trabalho feito no núcleo. “Fizemos um levantamento com relação as ferramentas de informática que nós pudéssemos usar no aperfeiçoamento do nosso trabalho, no Ministério Público do Pará, e tivemos a indicação de um trabalho exitoso, reconhecido nacionalmente, feito aqui no MPPB. Alguns sistemas e métodos de trabalho que tem aqui, muito nos interessam para implantarmos no nosso Centro de Apoio Operacional Criminal”, afirma.

Também estiveram representando o MPPA Arnaldo Barreto Almeida, chefe da Divisão de Análise e Programação, e Acibethenia de Arruda, do Serviço Confidencial de Pesquisa de Dados do CAO Criminal.

Para o representante do Ministério Público Militar, o promotor de Justiça Militar Luiz Felipe Carvalho Silva, a visita é importante para que haja uma troca de conhecimento de ferramentas que auxiliem nas investigações do MP, pois, segundo ele, “o Ministério Público da Paraíba possui um dos laboratórios mais avançados no Brasil”. Ainda de acordo com o promotor, “esse intercâmbio de conhecimento tem sido muito enriquecedor pros trabalhos do Ministério Público Militar; essa troca de dados, ferramentas, informações e soluções de tecnologia, pois acreditamos que o futuro seja isso mesmo: soluções de tecnologia, aplicadas para a missão institucional dos ministérios públicos, que é investigação, persecução penal, recuperação de patrimônio e a utilização de ferramentas de BI [Business Inteligence] auxiliam muito nesse mister do Ministério Público”, ressalta.

O promotor de Justiça Antonio André David Medeiros do Ministério Público do Mato Grosso do Sul e coordenador do Centro de Pesquisa, Análise, Difusão e Segurança da Informação (CI), explica que a troca de experiências entre as autoridades das instituições públicas poderá auxiliar nas atividades do grupo de trabalho que está sendo construído juntamente com o MPM. “A gente está fazendo um intercâmbio de experiências, e junto com o Ministério Público Militar, estamos fazendo um grupo de trabalho nacional para evoluir em outros pontos que o Ministério Público brasileiro ainda não tem. Então, como o Octávio tem uma equipe avançada, assim como do MPM, estamos juntando forças com o Ministério Público do Distrito Federal para conseguir integrar e melhorar todas as funções que nós desenvolvemos”.