Divulgados os finalistas do concurso de fotografia do MPPB sobre Direitos Humanos

Vinte três trabalhos vão integrar a mostra fotográfica sobre Direitos Humanos que o Ministério Público da Paraíba (MPPB) vai promover no próximo dia 11 de dezembro, para comemorar os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, promulgada no dia 10 de dezembro de 1948 pela Organização das Nações Unidas (ONU). O evento integra a programação da 'I Semana do Ministério Público”, já que dia 14 de Dezembro é o Dia Nacional do MP. A lista com os finalistas do “2° Concurso de Fotografia – MPPB e Direitos Humanos” foi divulgada nesta terça-feira (4), conforme previsto no edital.

O concurso recebeu 89 fotos, que abordaram diversos direitos previstos na Declaração Universal e que passarão a integrar o banco de imagens do MPPB, podendo ser usadas em peças e campanhas da instituição, com o devido crédito do autor, conforme previsto no edital do concurso.

A comissão julgadora do concurso foi composta pela procuradora de Justiça Vasti Cléa Lopes; pela promotora de Justiça, Cristiana Vasconcelos e pela professora de Fotografia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Agda Aquino, e contou com o apoio da equipe de profissionais da Assessoria de Comunicação do MPPB.

Premiação

Sessenta trabalhos foram inscritos na categoria 'Amador'; 26 na categoria “Profissional' e três na categoria 'Membro e Servidor'. Durante a mostra fotográfica que vai acontecer às 10h no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça, em João Pessoa, serão divulgados os três primeiros lugares da categoria 'Amador' e 'Profissional'.

Os vencedores receberão troféus e prêmios em dinheiro, que totalizam R$ 9 mil reais. Os valores serão pagos com patrocínios dados pelo Centro Universitário de João Pessoa (Unipê) e pela Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Também apoiam o evento a Unimed João Pessoa, a Associação Paraibana do Ministério Público (APMP) e a Associação e Sindicato dos Servidores do MPPB. Os demais trabalhos receberão troféu de menção honrosa.
    
Confira os nomes dos finalistas por ordem alfabética, com seus respectivos trabalhos

Categoria Amador
Andreza Clarinda Araújo do Amaral - “Direito à vida digna”
Daiana Targino da Silva - “Tecendo Sonhos”
Daniel Nery da Fonsêca Pinto – “Sobre viver”
Giselma Vieira Moreira Franco – “Água de beber”
Ivone Beatriz Cavalcanti da Silva – “Onde os fracos não têm vez”
João Dantas da Silva Neto – “A força da mulher sertaneja”
Matheus Filipi da Silva Diniz – “A infância e seus direitos”
Roan Nascimento Santos - “Liberdade”
Sérgio Siddiney Borges de Araújo - "Hortas Verticais para Ressocialização”
Valéria Sinésio da Silva – “Direito à Educação”

Categoria Profissional
Assuero Lima de Oliveira - “Não à pedofilia”
Diego Luiz Nóbrega Rodrigues - “O Sertão é sem lugar”
Francisco Rodrigues de França - “Quilombola”
Isabel Cristina Silveira de Souza - “Meu direito de ir e vir”
Kleide Maria Silva Teixeira - “Território Tabajara”
Leonardo dos Santos Silva - “Criança – direito à instrução”
Márcio de Miranda Gago - “Liberdade de pensamento, de consciência e de religião”
Marcus Antonius Gouveia de Oliveira - “Esperança”
Maria Edinalva Muniz de Figueiredo - “Disputa desumana pelo lixo”
Wallace Ricardo Puppe Cavalcanti - “A liberdade de ir, vir, ser e crer”

Categoria Membro e Servidor
Alan Anezio da Silva Lima - “Luzia sem Direitos”
Simone Silva de Araújo - “Liberdade religiosa também é um direito humano!”
Valuce de Alencar Bezerra - “Vida que fica, vida que vai”