Corregedoria-Geral realiza correição ordinária nas procuradorias de Justiça

A Corregedoria-Geral do Ministério Público da Paraíba (MPPB) realizou, nesta terça-feira (14/07), a correição ordinária nas procuradorias de Justiça Cível e Criminal da instituição. A reunião inaugural ocorreu pela manhã, através de videoconferência conduzida pela corregedora-Geral, Vasti Cléa Marinho Costa Lopes, com a participação da equipe da CGMP, do procurador-geral de Justiça, Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho, e dos membros com atuação no segundo grau. Após a reunião, os avaliadores deram continuidade ao trabalho, que deve ser encerrado no final do dia. 

Na abertura da reunião,a procuradora de Justiça Vasti Cléa agradeceu aos presentes pela participação e mencionou que os trabalhos de correição nos cargos não sofrerão prejuízos em razão do impedimento do ato presencial por força da pandemia, pois a  instituição já conta com organização e tecnologia para fazê-lo virtualmente, havendo transparência dos dados quantitativos e qualitativos, através do pleno acesso aos sistemas Thoth e MPVirtual pelos procuradores de Justiça avaliadores.

Vasti Cléa agradeceu ao procurador-geral de Justiça Francisco pelo respeito e contributo que sempre dirigiu ao órgão correicional; à subcorregedora-geral, Katia Lucena, pela parceria de sempre; aos procuradores de Justiça Álvaro Gadelha, José Roseno, Doriel Veloso, Herbert Targino e Luciano Maracajá, pela disponibilidade em auxiliar a CGMP na realização da correição, “numa demonstração de espírito público e generosidade, refletindo um contributo institucional de grande valia”.

A corregedora-geral também agradeceu aos promotores corregedores Francisco Lianza, Cristiana Vasconcelos e Clistenes Holanda, pelo senso de equipe e compromisso institucional, e aos servidores Audrey Leite, Ricardo Acioli e Mara Abrantes, responsáveis pelos preparativos que possibilitaram o ato correicional.

Formato dos trabalhos

Vasti Cléa relembrou que o atual formato da correição no 2º grau foi idealizado na gestão do procurador Alcides Jansen, tendo continuidade na gestão do procurador Luciano Maracajá e na presente. Segundo ela, é um trabalho realizado a várias mãos, de maneira compartilhada e harmônica, com o intuito de buscar a excelência na atuação ministerial, que ao longo do tempo, teve nítida evolução da qualidade  na segunda instância, com todos os membros cientes do seu papel de vetores de transformação social.

Já Francisco Seráphico destacou o clima positivo no MPPB e a relação de respeito e harmonia existentes nas atividades ministeriais de 1º e 2º graus, apontado o papel fundamental do trabalho do 2º subprocurador-geral de Justiça, Álvaro Gadelha Campos, e sua dedicação permanente para o fortalecimento da Coordenadoria Recursal (Core). Ele realçou também a significativa produção dos procuradores de Justiça e a presença efetiva dos membros no TJPB, em sustentações e diálogos com os representantes do Judiciário.

Ainda foi apontada pelo PGJ a importância do empenho da corregedora-geral para realização da correição no 2º grau, podendo todos constatar na oportunidade a celeridade na distribuição dos processos pelo Departamento de Processos e Pareceres/Diafu, o compartilhamento de boas práticas entre os membros e o primor na confecção das peças jurídicas pelos gabinetes.

Atuação na pandemia

Os presentes aproveitaram a ocasião para parabenizar o procurador-geral de Justiça pela condução da Instituição de forma tão segura e equilibrada nesses dias turbulentos da pandemia pelo covid-19, demonstrando experiência e amadurecimento, a despeito de sua pouca idade. O diretor da Diafu e a chefe de Departamento do DPP, Ricardo Acioli e Audrey Leite, também foram amplamente referidos por todos, com realce para dedicação, presteza e responsabilidade com que desempenham seu mister.

Além da corregedora-geral e do procurador-geral, participaram da reunião os procuradores de Justiça Álvaro Gadelha Campos, Doriel Veloso Gouveia, José Roseno Neto e Herbert Douglas Targino; o secretário-geral, Antônio Hortêncio Rocha Neto; os promotores de Justiça convocados Amadeus Lopes, Vanina Freitas e Rodrigo Nóbrega, além da chefe do Departamento de Processos e Pareceres da Diafu, Audrey Leite, e da servidora da CGMP Mara Abrantes.