MPPB adere à força-tarefa do MP-GO que investiga denúncias contra médium

O Ministério Público da Paraíba aderiu à força-tarefa deflagrada pelo MP de Goiás, que investiga denúncias de crimes sexuais supostamente praticados pelo medium João de Deus. O Centro de Apoio às Promotorias de Justiça Criminais (CAOCrim) disponibilizou o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. para denúncias. Possíveis vítimas também podem procurar a Promotoria mais próxima de sua residência, que encaminhará ao CAOCrim.

O promotor de Justiça coordenador do CAOCrim do MPPB, Lúcio Mendes, disse que, até o momento, nenhum caso de possível vítima na Paraíba chegou a seu conhecimento. “Os CAO Criminais estão com a função de encaminhar dados de eventuais vítimas nos Estados para a força-tarefa que está atuando em Goiás ou eventualmente, em apoio a essa força-tarefa, como complemento, colher os depoimentos e encaminhar para que o grupo responsável pela investigação avalie”, explicou.

Até a última terça-feira (11), o Ministério Público de Goiás havia realizado 206 atendimentos a mulheres que se apresentaram como vítimas de João de Deus. Duas delas são do exterior (Estados Unidos e Suíça). A maioria fez contato (156 até dos 206) por meio do canal criado exclusivamente para essa finalidade, o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Elas se identificaram como sendo de Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Pernambuco, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul. As possíveis vítimas podem procurar o MP-GO pelo e-mail, pelos telefones (62) 3243-8051 e 8052 ou presencialmente.

 

Ascom/MPPB com Ascom MP-GO