MPPB participa de sessão especial sobre diabetes na ALPB

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) foi uma das instituições presentes na sessão especial para debater o dia mundial do diabetes, celebrado em 14 de novembro, realizada pela Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), na última quinta-feira (12). O evento, proposto pelo deputado Raniery Paulino, reuniu autoridades, médicos e especialistas da área, no Plenário Deputado José Mariz.

A 48ª promotora de Justiça de João Pessoa, que atua na área da saúde, Maria das Graças de Azevedo Santos, representou o MPPB, no evento. Na ocasião, ela solicitou o apoio do Poder Legislativo para trabalhar pela conclusão do Hospital da Mulher do Estado da Paraíba, previsto para ser inaugurado em 2022. Para ela, será um instrumento público de saúde de grande importância para o combate às doenças que atingem a mulher, especialmente no caso de gestantes com diabetes. “Sem o tratamento adequado, correm sério risco a mãe e a criança”, disse.

O deputado Raniery Paulino considerou a discussão muito proveitosa para a conscientização popular sobre a prevenção, o tratamento e o combate a essa doença. “Precisamos chamar a atenção para esse tema, a exemplo da criação de centros de referência, a luta pela conclusão do Hospital da Mulher, proposta pela promotoria da Saúde, entre outras. É um tema denso e a Assembleia Legislativa cumpre o seu papel quando faz essa discussão com tanta densidade, com tantas informações e participação de representantes de entidades importantes nesse processo”, afirmou, acrescentando que o seu gabinete fará o encaminhamento de tudo que foi proposto na sessão.

De acordo com a presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metodologia – Regional da Paraíba, Márcia Brandenburski de Farias, o Brasil é o quarto país com maior número de diabéticos do mundo, atrás dos Estados Unidos, China e Índia. No mundo, 463 milhões de pessoas têm a doença, que, no Brasil atinge perto de 9% da população.

O Dia Mundial do Diabetes foi criado em 1991 pela Federação Internacional de Diabetes (IDF) junto à Organização Mundial de Saúde (OMS) para conscientizar o mundo inteiro sobre os problemas associados à doença crônica, que se caracteriza pelo aumento constante dos níveis de glicemia no sangue. A data foi escolhida em homenagem ao aniversário do Dr. Frederick Banting, que descobriu a insulina em 1921, juntamente com seu assistente, o estudante Charles Best, na Universidade de Toronto.

“Estamos muito satisfeitos com esse espaço aberto pela Assembleia Legislativa da Paraíba, porque nós que lidamos no dia a dia com uma população imensa que sofre com essa situação, com essa doença que é silenciosa, mas que pode acarretar complicações seríssimas e incapacitantes, porque aumenta o risco de infartos, derrames cerebrais, amputações, entre outros problemas. Consideramos de fundamental importância conscientizar a população e pedir ajuda do poder público no sentido de melhorar esse tratamento”, justificou a doutora Márcia Brandenburski, acrescentando que mais de 6,5 milhões de brasileiros desconhecem que têm a doença.

A endocrinologista Maria da Luz Cunha Pereira Gorenstin, representando a Sociedade Brasileira de Diabetes, encaminhou à mesa dos trabalhos uma proposta de criação de um centro especializado no tratamento da doença, nos moldes do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (o Cedeba), que, segundo ela, presta um grande serviço à população daquele estado.

Para o vice-presidente do Conselho Regional de Medicina (CRM-PB), João Modesto, os números sobre o diabetes no mundo e, especialmente no Brasil são muito preocupantes. “Todas as vezes que são feitos estudos sobre prevalência do diabetes no Brasil – o maior deles aconteceu no final da década de 1990 – ficou constatado que, pelo menos, metade dos casos diagnosticados foram de pessoas que não sabiam que tinham a doença”, destacou.

Também participaram da solenidade a deputada Jane Panta, que é médica, e o advogado Raphael Viana, presidente da Comissão de Direito Médico da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba (OAB-PB).

Texto e foto: Ascom/ALPB