MPPB e Secretaria de Saúde de CG definem funções dos hospitais no enfrentamento ao novo coronavírus

O Ministério Público da Paraíba e a Secretaria de Saúde de Campina Grande realizaram, neste sábado (21/03), uma reunião para definir o papel de cada hospital das redes pública, particular e filantrópica conveniada do SUS no enfrentamento ao novo coronavírus na cidade. Na reunião, ficou definido que todas as unidades hospitalares vão se associar ao sistema público municipal de saúde e disponibilizar estrutura, equipe e material para o tratamento dos casos de coronavírus, se necessário. A Promotoria da Saúde de Campina Grande vai fiscalizar.

 A partir da próxima segunda-feira (23/03), o Hospital da Criança e do Adolescente (HCA) será destinado exclusivamente para o atendimento de crianças e adolescentes com sintomas de problemas respiratórios; já os demais casos pediátricos serão tratados no hospital da Clipsi. Para tanto, a Secretaria Municipal de Saúde vai disponibilizar profissionais para atuar na Clipsi e dar o suporte neste trabalho.

A UPA do Alto Branco continuará fazendo o primeiro atendimento dos adultos com sintomas de coronavírus. Os casos confirmados de Covid-19 serão encaminhados para o Hospital Municipal Pedro I, que está sendo preparado para atender exclusivamente estes pacientes. No caso das gestantes que apresentarem sintomas de coronavírus, a orientação também é procurar, inicialmente, a UPA do Alto Branco. Os casos graves serão encaminhados para o Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea), onde está sendo implantada uma ala com cinco leitos para com casos de Covid-19.

Ficou definido ainda que a Fundação Assistencial da Paraíba (FAP) continuará responsável por oferecer o tratamento aos pacientes com câncer durante o período de pandemia. O Hospital Antônio Targino vai oferecer atendimento para pacientes que precisem de diálise e suporte de ortopedia clínica para desafogar as demais unidades que realizam também essa tarefa.

Já O Hospital de Trauma de Campina Grande também vai disponibilizar uma ala para tratamento do coronavírus e dará suporte para toda a rede hospitalar do município. O Hospital João XXIII dará suporte de internação a pacientes das UPAs e pacientes que necessitem de diálise e também vai abrir uma ala para casos de coronavírus para funcionar como retaguarda técnica do Hospital Municipal Pedro I.

O Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC) irá disponibilizar, a partir do dia 1º de Abril, um ala com 12 leitos para pacientes com   Covid-19. Até lá o hospital vai ceder profissionais médicos para atuarem na rede de saúde da cidade. A Santa Clara irá apresentar seu planejamento para enfrentamento do coronavírus na próxima semana.

A promotora da Saúde de Campina Grande, Adriana Amorim, destacou a necessidade de todos as unidades de saúde se unirem no combate à pandemia. “Chegou um momento em que todos os serviços têm que estar à disposição para o combate à pandemia. Vamos fiscalizar. Tem toda uma população precisando desse serviço com qualidade”. A promotora ressaltou ainda que, mesmo com a organização da rede, sente-se a necessidade de mais leitos, pois o déficit é grande.

Para o secretário de saúde, Filipe Reul, o apoio das unidades hospitalares da cidade vai ser decisivo na resposta rápida à pandemia. “Mais que nunca, agora somos todos uma só rede de saúde, falando uma mesma linguagem e adotando os mesmos protocolos clínicos”, avaliou.

 

Com informações e foto da Secom/PMCG