MPPB e UFPB farão parceria em projetos de combate à alienação parental

O Ministério Público da Paraíba vai expandir o Projeto Presente, de combate à alienação parental, através de uma parceria com o Projeto Catraca (Centro de Assistência Transdisciplinar e Combate à Alienação Parental), da Universidade Federal da Paraíba. A cooperação entre os projetos foi discutida nessa quarta-feira (02/10), durante reunião promovida pelo Centro de Apoio Operacional às Promotorias Cíveis e Família do MPPB.

Participaram da reunião a coordenadora do Centro de Apoio e gestora do Projeto Presente, promotora Liana Espínola; o coordenador do Núcleo de Prática Jurídica da UFPB e do Projeto Catraca, Fábio Bezerra dos Santos; a advogada voluntária Gabriela Sarmento; e os estudantes da UFPB, Icaro Feitas, José Targino, Ellen Nunes e Mércia Rodrigues.

Segundo a promotora Liana Espínola, os projetos Presente e Catraca são convergentes em razão de tratarem do combate à alienação parental. O Projeto Presente busca promover atendimento de composições familiares carentes e em conflito, procedendo tratamentos psicológicos e encaminhamentos conforme os casos concretos. Já o projeto Catraca tem uma vertente de educação nas escolas, buscando alertar sobre o tema através de uma peça de teatro de fantoches.

Ao final, ficou acordado que será feito um mapeamento das escolas com crianças de sete a doze anos. Também ficou ajustado que o Projeto Catraca vai participar do evento justiça e cidadania, com apresentação do teatro de fantoches, que será realizado na Praça da Paz, nos Bancários, no dia 9 de novembro.

 

Atividades

O Projeto Presente prevê, entre outras atividades, o atendimento a crianças e adolescentes envolvidos em conflitos familiares ou parentais para conhecimento de suas necessidades e avaliação; visitas domiciliares com o objetivo de conhecer a realidade dos membros familiares, os vínculos afetivos entre eles, a rede de apoio e a comunidade; visitas monitoradas com o objetivo de observar a interação entre os envolvidos e fortalecer vínculos fragilizados ou rompidos; e orientações aos familiares quanto às questões e dificuldades observadas.