MPPB expede recomendação a serviços de acolhimento institucional e familiar, em João Pessoa

A Promotoria da Criança e do Adolescente de João Pessoa recomendou aos dirigentes dos serviços de acolhimento institucional e familiar governamentais ou não-governamentais da Capital que elaborem, com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) e Secretaria de Saúde, um plano de contingência de prevenção ao contágio e manejo de eventuais casos de infectados pelo vírus Covid-19 (coronavírus) dentro da unidade de acolhimento.

No documento, a promotora de Justiça Soraya Soares da Nóbrega Escorel recomenda a implementação ou reforço efetivo de práticas de higiene por parte dos acolhidos e servidores ou colaboradores, prestando todas as informações sobre a higienização das mãos, boca e nariz; controle e supervisão de visitas; definição de locais em separado para os acolhidos que apresentem sintomas de gripe e do Covid-19 (coronavírus);

Também foi recomendado que os serviços garantam de modo prioritário à vacinação de H1N1 a crianças e adolescentes acolhidos, assim como servidores e colaboradores das unidades de acolhimento institucional e familiar, respeitando as orientações dos profissionais de saúde. Os casos suspeitos ou comprovados do Coronavírus devem ser notificados na unidade de acolhimento, via e-mail da Promotoria de Justiça e para a Secretaria de Saúde do Município.

A promotora também recomendou que sejam suspensas quaisquer viagens ou passeios com os acolhidos que tenham sido programados enquanto perdurar o estado de emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus e que os profissionais dos serviços de acolhimento e famílias acolhedoras sejam orientados por profissionais de saúde (mantendo a intersetorialidade entre saúde e assistência social) acerca da Covid-19.