Promotoria promove videoconferência com rede de proteção a crianças e adolescentes de Pocinhos e Puxinanã

A Promotoria de Justiça de Pocinhos promoveu, nesta sexta-feira (11/09), a quarta reunião, por videoconferência, com membros das redes de proteção de crianças e adolescentes dos municípios de Pocinhos e Puxinanã. Os encontros integram os procedimentos administrativos instaurados para fiscalizar e fomentar a atuação conjunta e proativa de secretarias municipais de saúde, educação e assistência social, conselhos tutelares e de direitos, delegacia, Vara de Justiça e Defensoria Pública em prol da população infantojuvenil em situação de vulnerabilidade social e de suas famílias.

Segundo a promotora de Justiça de Pocinhos, Fabiana Mueller, nas duas reuniões por videoconferência realizadas com os municípios, foram discutidos casos de crianças e adolescentes que precisam de algum tipo de assistência do poder público e os encaminhamentos e medidas adotados pelos órgãos competentes para ajudá-los.

Outros assuntos discutidos pela rede foram o tratamento psicológico de crianças e adolescentes e seus pais nos Centros de Apoio Psicossocial (Caps) de Pocinhos e a inserção de alunos nas aulas virtuais, tendo em vista o fechamento das escolas e a suspensão das atividades pedagógicas presenciais devido à pandemia da convid-19.

Na ocasião, a presidente do Conselho Municipal de Educação, Rosa Braz, informou que crianças estão recebendo material didático impresso e merenda em casa e vêm estudando com o auxílio de vizinhos. Ela também externou a preocupação com a falta de participação das famílias, uma vez que poucas têm comparecido às unidades de ensino para pegar as atividades impressas preparadas para os alunos realizarem em casa.

A conselheira tutelar, Gerlane Araújo Melo, por sua vez, disse que durante as visitas realizadas pelo Conselho Tutelar, constatou que as famílias têm dificuldades em auxiliar as crianças nas aulas remotas, inclusive porque muitas delas só possuem um aparelho celular com internet e também porque muitos pais não têm educação formal.

A próxima reunião com as redes de proteção às crianças e adolescentes de Pocinhos e Puxinanã foi agendada para o dia 23 de outubro.