Membros do MPPB e da Comissão de Orçamento da ALPB discutem sobre audiência da LDO e parcerias institucionais

Membros do Ministério Público da Paraíba receberam, no final da tarde desta quinta-feira (16/05), o representante da Comissão de Acompanhamento e Controle da Execução Orçamentária da Assembleia Legislativa da Paraíba. Durante a visita de cortesia, além da reafirmação da parceria institucional entre as duas instituições, o MPPB foi convidado para participar da audiência pública sobre a Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO), que será realizada na Assembleia, às 11h da próxima quarta-feira (22/05), e também para ser parceiro do “Movimento Paraíba sem Drogas”, que deverá ser lançado no próximo mês.

O presidente da Comissão de Orçamento, o deputado estadual Wilson Filho, foi recebido pelo procurador-geral de Justiça, Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho, acompanhado dos procuradores Alcides Orlando de Moura Jansen, Alvaro Cristino Pinto Gadelha Campos e Marcus Vilar Souto Maior e do promotor Amadeus Lopes Ferreira.

O procurador-geral agradeceu a visita, reafirmou a necessidade da boa relação institucional para que os projetos de interesse da sociedade sejam executados e também destacou a importância da audiência agendada pelo poder legislativo para discutir as diretrizes para a aplicação do orçamento. Ele também colocou o Ministério Público à disposição para, dentro de suas atribuições, contribuir para a execução do projeto idealizado pelo deputado.

O deputado Wilson Filho colocou a Comissão de Orçamento à disposição do MPPB para ouvir as sugestões, durante a audiência pública da próxima quarta-feira. Ele disse que o objetivo da visita foi fazer o convite pessoalmente e também conversar sobre situações e projetos desenvolvidos na Assembleia que sejam passíveis de parceria com o Ministério Público.

“Esse respeito institucional é muito importante para que possamos produzir socialmente para o bem do Estado. O movimento 'Paraíba sem Drogas', que será lançado em junho, é de interesse de todos, porque, quando se tem um dependente perto, a família e a sociedade sofre. Por isso, precisamos trabalhar em três frentes: na repressão, com o trabalho da polícia, mas também com a ressocialização e com a prevenção. O Ministério Público é um grande parceiro nessa tentativa de construir uma sociedade melhor”, disse o deputado.