Inspirado no modelo brasileiro: HackFest na Colômbia traz soluções tecnológicas para o combate à corrupção

Foram três dias de palestras e maratona de programação no primeiro HackFest realizado pela Universidade de Norte, em Barranquilla, na Colômbia, no último fim de semana. O evento foi inspirado no modelo desenvolvido pelo Núcleo de Gestão do Conhecimento e Segurança Institucional do Ministério Público da Paraíba (NGCSI/MPPB) executado por uma rede de parceiros, entre eles as universidades federais de Campina Grande (UFCG) e da Paraíba (UFPB). Jovens colombianos fizeram uma imersão para encontrar soluções tecnológicas para problemas enfrentados por aquela sociedade, que são semelhantes aos causados pela corrupção no território brasileiro. Das 15 ideias apresentadas, cinco foram desenvolvidas, sendo três premiadas.

Os projetos vencedores foram: ABC Contra la Corrupción (que mostra a crianças entre 8 e 11 anos de idade a importância do voto consciente através de um jogo interativo), ¿Qué me ofreces? (fomenta o empoderamento dos cidadãos durante os processos eleitorais e pós-eleitorais, acompanhando o cumprimento de propostas feitas por eles) e Tití (estabelecer uma plataforma de controle de tráfego sobre os processos de licitação e contratação na região do Caribe), que conquistaram os 1º, 2º e 3º lugares, respectivamente.

O primeiro contato para a realização do evento nos moldes do HackFest paraibano foi feito no último mês de fevereiro pelos representantes da Universidade do Norte com o promotor de Justiça Octávio Paulo Neto, coordenador do NGCSI. A equipe paraibana do Hackfest prestou informações e assessoria para que o evento fosse formatado fora do Brasil e um grupo – que inclui os professores Nazareno Andrade, do Laboratório Analytics, e João Arthur Brunet Monteiro, chefe do Departamento de Informática, ambos da UFCG, e Inalda Barros Béder, pesquisadora na área de desenvolvimento sustentável NPPDS/UFPB – participou diretamente das atividades durante a realização do evento.

Uma onda

O HackFest tem sido considerado como “uma onda contra a corrupção”, se espalhando Já foi que tem se espalhado em outros Estados do Brasil, como São Paulo (SP), Natal (RN), Florianópolis (SC) e Belo Horizonte (MG). No ano passado, o HackFest do MPPB serviu de modelo para o Amapá HackFest (realizado em novembro pelo MP do Amapá) e para o Amazon HackFest (realizado em outubro pelo MP do Amazonas). A quarta edição do evento paraibano foi realizada em 2018, reunindo dezenas de parceiros e atraindo milhares de participantes.