CNPG realiza reunião extraordinária em Goiânia, em alusão ao 23º Congresso Nacional do MP

O Conselho Nacional de Procuradores-Gerais do Ministério Público dos Estados e da União (CNPG) realizou, nesta quarta-feira (4/9), reunião extraordinária em Goiânia (GO). O encontro, além de debater pautas institucionais e de interesse da sociedade, fez alusão ao 23º Congresso Nacional do Ministério Público, promovido pela Associação Nacional do Ministério Público (Conamp) e pela Associação Goiana do Ministério Público (AGMP), que acontece desde terça-feira, no Centro de Convenções daquela cidade.

A reunião extraordinária contou com a presença do corregedor-nacional do Ministério Público, Orlando Rochadel Moreira; do 1º vice-presidente da Conamp (Associação Nacional dos Membros do Ministério Público), Manoel Victor Sereni Murrieta, e dos conselheiros do CNMP, Lauro Machado Nogueira, Rinaldo Reis Lima e Fábio Bastos Stica.

Ao iniciar os trabalhos, o presidente do CNPG, Paulo Cezar dos Passos, procurador-geral de Justiça (PGJ) do Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul (MPMS), agradeceu ao procurador-geral de Justiça de Goiás, Aylton Flávio Vechi, pela receptividade e acolhida ao evento. Ele destacou, ainda, o importante apoio da Superintendência de Informática e do Cerimonial do MPGO para a realização do encontro. Aylton Vechi ressaltou que é uma honra para o MP goiano receber mais uma vez uma reunião do CNPG, o qual ele definiu como um colegiado que busca o aprimoramento e fortalecimento do Ministério Público brasileiro.

Em seguida, o corregedor-nacional do MP, Orlando Rochadel Moreira, cujo mandato à frente do órgão fiscalizatório está terminando, apresentou um balanço das ações da Corregedoria Nacional, nos últimos dois anos. Ele ponderou que é possível notar uma crescente interlocução entre os procuradores-gerais e a Corregedoria Nacional, observando que o órgão, neste período, “não deixou de aplicar sanções a seus membros, dentro do devido processo legal”. Segundo informou, foram aplicadas 70 sanções disciplinares a membros do MP em todo o País. Neste período, foram feitas 23 correições nos Estados, com visitas a 2.281 unidades.

Logo após, o presidente da Associação Goiana do Ministério Público de Goiás (AGMP), José Carlos Miranda Nery Júnior, recebeu um agradecimento formal do presidente do CNPG pela organização do Congresso Nacional do Ministério Público.

Na sequência, os membros do Conselho, deliberaram assuntos da pauta. Foram definidos, no âmbito do CNPG, relatores para proposições em trâmite no CNMP: o PGJ Fabiano Dallazen, para a Proposição 1.00356/2019-06, acerca da proposta de recomendação que dispõe sobre a priorização a ser dada pelo MP brasileiro às infrações penais praticadas contra advogados, no exercício da profissão ou em razão dela (conselheiro Otávio Luiz Rodrigues Jr.); e o PGJ Plácido Barroso Dias, para a Proposição 1.00631/2019-55, que trata da proposta de criação do Plenário Virtual no âmbito do CNMP, mediante a inclusão do artigo 7º-A no Regimento Interno.

Também foram apresentadas notas técnicas acerca da Proposição 1.00426/2019-08, que visa estabelecer critérios mínimos para a permuta entre membros do MP, pela PGJ do Ministério Público da Bahia (MPBA), Ediene Santos Lousado, e da Proposição 1.00461/2019-18, cujo objeto é a proposta de resolução que visa a regulamentação dos cursos oficiais para ingresso, formação inicial e vitaliciamento de membros do MP, pelo PGJ do Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS), Fabiano Dallazen.

O Colegiado também discutiu a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Reforma da Previdência (nº 6/2019), e os projetos de lei e emendas constitucionais que interessam ao Ministério Público brasileiro, como o Projeto de Lei 6.726/2016, que tramita em regime de prioridade, e a PEC 58/2019, sob relatoria do senador Oriovisto Guimarães (Podemos/PR).

Ao final da reunião extraordinária o Procurador do Trabalho Ronaldo Curado Fleury, que integrou o colegiado, foi homenageado pelo trabalho que desenvolveu no CNPG.

O Congresso

A Conamp e a AGMP realizam, até esta sexta-feira (06/09), no Centro de Convenções de Goiânia, a vigésima terceira edição do Congresso Nacional do Ministério Público, evento que ocorre bienalmente, com o propósito de reunir promotores e procuradores de todo o País para a discussão de questões jurídicas, econômicas e sociais afetas à atuação do Ministério Público e de interesse da sociedade brasileira.

A programação contará, na sexta-feira (6/9), com a participação do presidente do CNPG, Paulo Cezar dos Passos, que vai compor o painel “Discutindo o Futuro da Carreira e do Ministério Público” juntamente com o conselheiro do CNMP, Lauro Machado Nogueira, e o presidente da Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT) e coordenador da Frente Associativa da Magistratura e do Ministério Público (Frentas), Ângelo Fabiano Farias da Costa.

Também na sexta-feira, o promotor de Justiça do MPMS, Paulo César Zeni, assessor especial do PGJ, vai proferir palestra sobre: “A Automação no Direito Processual Eletrônico: Limites Jurídicos para o Emprego da Inteligência Artificial na Relação Jurídico-Processual”.

Confira a programação do 23º Congresso Nacional clicando AQUI.

 

Texto e fotos: Ascom/CNPG