Início de gestão: PGJ ouve membros da Core e da APMP 

 

O procurador-geral de Justiça, Antônio Hortêncio Rocha Neto, em continuidade ao ciclo de encontros com os órgãos e setores do Ministério Público da Paraíba, realizou mais duas reuniões na manhã desta sexta-feira (17/09). A primeira, de forma presencial, foi com a Coordenadoria Recursal (Core) para tratar das diretrizes da gestão. Já na segunda, o chefe do MPPB ouviu membros da Associação Paraibana do Ministério Público (APMP), reafirmando a parceria com a entidade para assuntos relativos aos direitos dos membros e sua atuação em defesa da sociedade. 

Da reunião da Core, participaram o coordenador, o procurador de Justiça Luciano de Almeida Maracajá, e os membros integrantes, os promotores de Justiça Adriana de França Campos e Leonardo Pereira de Assis. No encontro, o PGJ destacou a relevância da Core, visto que tem a função de dar suporte aos membros da instituição no encaminhamento de recursos judiciais, fazendo um elo entre os promotores e os procuradores de Justiça (1º e 2º graus), bem como de realizar o acompanhamento dos processos junto aos tribunais.

O procurador Luciano Maracajá também ratificou a importância do órgão e reafirmou seu compromisso de dedicar atenção, zelo e cuidado no trabalho da Core fazendo com que seja um canal aberto aos promotores e procuradores. Também informou que já está com os relatórios do órgão e que vai encaminhar ofício a todos os membros apresentando a nova composição. Os promotores Adriana França e Leonardo Assis agradeceram a confiança e reiteraram que vão procurar dar o melhor para que a Core tenha êxito nas suas atividades.

Parceria com a APMP
Logo depois, Antônio Hortêncio dirigiu-se à sede da APMP, que fica nas proximidades da PGJ, no Centro da Capital, onde reuniu-se com os promotores de Justiça que integram a entidade: Leonardo Quintans (presidente), Ana Carolina Ramalho, Cláudia de Souza Cavalcanti Bezerra, Edmilson de Campos Leite Filho e Fernando Vasconcelos. Também acompanhou a visita o promotor de Justiça Amadeus Lopes. 

Hortêncio repetiu o que vem dizendo nas reuniões anteriores, ou seja, a sua disposição de dialogar e construir soluções junto aos órgãos e setores para o fortalecimento da instituição, como vem sendo sua postura nos cargos anteriores que ocupou. Ele destacou o fato de o MPPB, apesar de ser um dos MPs menores do país em relação a orçamento, que reflete em número de pessoal e estrutura, tem se destacado. “Somos guerreiros. Fazemos muito com pouco e ainda ‘exportamos’ projetos”, disse, acrescentando que isso é resultado de um trabalho conjunto. 

O promotor Leonardo Quintans destacou o caráter simbólico da reunião, que era no sentido de reafirmar uma parceria já existente entre os membros e as duas instituições (PGJ e APMP). Ele disse que esse apoio mútuo entre os integrantes sempre existiu, com destaque para a época recente na qual exercia o cargo de secretário de Planejamento e Hortêncio o de secretário-geral. Quintans e os demais integrantes da associação colocaram a entidade à disposição do chefe da instituição, tanto na defesa dos direitos dos membros, quanto para atuação em questões que abrangem toda a sociedade.


Matérias relacionadas: