Servidores da região de Sousa falam sobre impactos de curso na rotina de trabalho

Servidores que participaram da primeira turma do curso sobre normas e procedimentos adotados no Ministério Público da Paraíba, realizado na semana passada, falam sobre os ganhos de conhecimento e os impactos da capacitação na rotina de trabalho. Ao todo, foram 23 participantes, entre assessores, técnicos de diligências e profissionais que atuam nas secretarias e cartórios das promotorias de Justiça que formam a 5ª microrregião: Sousa, São João do Rio do Peixe, Cajazeiras, São José de Piranhas e Conceição. No próximo dia 19, começa a segunda turma da capacitação para a 4ª microrregião de Patos. As inscrições para a segunda turma devem ser feitas AQUI.

O curso foi uma demanda da Corregedoria-Geral do Ministério Público (CGMP) e está sendo realizado pelo Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf), em conjunto com a Diretoria de Tecnologia da Informação (Ditec) e a Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag). Ministram as palestras o promotor corregedor, Clístenes Bezerra de Holanda, e os servidores Daniel Falcão (Ditec) e Jonatha Vieira (Seplag). O treinamento é acompanhado pela promotora de Justiça Renata Luz, coordenadora do Ceaf.

Participantes recomendam
O técnico ministerial Geraldo Brandão disse que os conhecimentos compartilhados facilitaram muito a rotina dos servidores, principalmente, dos que trabalham em cartórios de promotorias, como é o caso dele. “Estávamos na expectativa da realização desse curso e, de forma objetiva e didática, os professores conseguiram repassar os conhecimentos que agregaram valor às nossas atividades. Eu quero, inclusive, parabenizar ao Ceaf, na pessoa da promotora Renata Luz, pela iniciativa. É uma capacitação muito importante para todos os que estão lidando com os procedimentos no dia a dia”, disse.

Sheilla Aquino, que é técnica ministerial na Promotoria de São José do Rio do Peixe, está há 12 anos no Ministério Público e disse que, mesmo com a experiência acumulada, a capacitação lhe trouxe um novo olhar sobre a instituição. “O promotor Clístenes e os servidores Jonatha e Daniel trouxeram novidades e detalhes que a gente não conhecia tão bem, tiraram dúvidas sobre procedimentos da nossa prática diária. É um curso muito proveitoso. Recomendo a todos os servidores que, se tiverem oportunidade, façam.

A partir de diagnóstico da Corregedoria
O promotor corregedor, Clístenes Bezerra de Holanda, explicou que, durante as correições realizadas pela equipe da Corregedoria-Geral, a partir do início de 2019, em órgãos ministeriais de todo o Estado, percebeu-se a necessidade da realização da capacitação em relação à taxonomia, a tramitação de procedimentos, à observância dos prazos e a outras questões que estão ligadas ao impulsionamento resolutivo. Segundo o membro da CGMP, a partir disso, amadurece-se a ideia de fazer a capacitação juntamente com a Ditec e a Seplag, para reunir outros aspectos relacionados à movimentação de procedimentos e novas ferramentas do MPVirtual.

“Percebemos um certo desconhecimento, ou um esquecimento, sobre alguns atos normativos do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), que impactava diretamente na atuação dos servidores e isso refletia na tramitação dos procedimentos. Temos uma série de resoluções e atos do CNMP que disciplinam essa tramitação, desde a instauração, condução… Então, sentimos necessidade dessa capacitação para reavivar na memória dos servidores esses atos normativos do CNMP e também as normas internas, adotadas pelo Ministério Público da Paraíba, que têm total alinhamento com os dos CNMP. Montamos essa capacitação para que seja o mais pragmática possível, um diálogo com os servidores, que podem tirar dúvidas e falar de suas dificuldades”, destacou.

Virtualização e padronização de processos
O servidor da Ditec, Daniel Falcão, abordou questões relacionadas à virtualização dos processos, que atinge, hoje, 100% dos órgãos do Ministério Público da Paraíba. Ele fez uma apresentação do sistema de informação do MPPB, o MPvirtual, mostrando suas funcionalidades. Também mostrou como está organizada a taxonomia dos procedimentos, como consultar e como funciona as classes, os assuntos e os movimentos, que estão padronizados em nível nacional e precisam ser classificados de forma correta. “Falamos sobre o sistema de virtualização de processos que possui ferramentas essenciais para o trabalho dos serviidores”, disse.

O servidor da Seplag, Jonatha Vieira, explicou que o curso é dirigido, principalmente, a servidores de secretarias e cartórios de promotorias, técnicos de diligências e assessores de promotores. Na sua palestra, Jonata aborda os macroprocessos no MPPB. Ele fala do funcionamento do sistema Thoth e as possibilidades de geração de relatórios sobre movimentações para melhor mensuração do trabalho; do Protocolo Eletrônico, que agiliza o cadastro e envio de documentos; as novas instruções operacionais padrões (IOPs), que facilitam o trabalho e dão unidade à atuação ministerial.

“Também falamos sobre os novos núcleos no âmbito do MP, o de Inovação e o de Bem-estar; do Programa de Teletrabalho instituído no MPPB e do trabalho remoto em razão da pandemia. Também mostramos aos servidores que estão em atendimento remoto à população, que é possível o registro dos atendimentos, inclusive pelo WhasApp (e deve ser feito), no MPVirtual. Abrimos para dúvidas e interações e compartilhamos conhecimentos”, disse Jonatha.