MPPB faz correição nas promotorias de Queimadas e Umbuzeiro

A Corregedoria-geral do Ministério Público da Paraíba (MPPB) realizou, nessa semana, correição nos 1°, 2° e 3° cargos da Promotoria de Justiça de Queimadas e na Promotoria de Justiça de Umbuzeiro. Além da análise dos trabalhos judiciais e extrajudiciais, a equipe participou de reuniões com representantes da rede de proteção e apoio social dos municípios de Queimadas, Aroeiras e Umbuzeiro para ouvir os relatos dos profissionais sobre as maiores demandas da população e fez visitas à delegacia e a cadeias públicas da região. Participaram das correições os promotores-corregedores Cristiana Vasconcelos, Clístenes Holanda e Francisco Lianza.

Segundo a corregedora-geral do MPPB, a procuradora de Justiça Vasti Cléa Marinho Costa Lopes, foi possível constatar, junto aos participantes das reuniões, o reconhecimento social sobre o comprometimento e a disponibilidade dos promotores de Justiça Carolina Soares Honorato de Macedo, Leonardo Fernandes Furtado, Márcio Teixeira de Albuquerque e Sandremary Vieira de Melo Agra Duarte.

Reuniões

Em Queimadas, representantes dos órgãos da rede de apoio social destacaram a violência doméstica como principal problema local. Foram discutidas formas de identificar as causas dessa violência, ações educativas e medidas que devem ser desenvolvidas para acolher as famílias vítimas. A gerente de Políticas para Mulheres do município, Isânia Monteiro informou que, apesar da naturalização da 'cultura do machismo', a rede de apoio tem apresentado resultados positivos, com ações preventivas, desde 2017. Os promotores de Justiça Leonardo Furtado e Marcio Teixeira ressaltaram a importância da cooperação de todos para que vidas sejam salvas e da apresentação das demandas ao Ministério Público, como a construção de um abrigo para mulheres com assistência psicológica.

Já na reunião realizada em Aroeiras (que também faz parte das atribuições do 3º cargo da Promotoria de Justiça de Queimadas), foram apresentadas questões relacionadas à segurança pública, diante da ausência de policiamento ostensivo na maioria dos municípios, especialmente em Gado Bravo, o que favorece o aumento da criminalidade e disseminação das drogas entre os jovens. Na ocasião, a promotora de Justiça Carolina Honorato garantiu que tudo o que foi relatado durante o encontro será objeto de reflexão para o fortalecimento da rede de proteção e desenvolvimento dos serviços em parceria com os órgãos.

Em Umbuzeiro, também foram discutidos problemas como a falta de policiamento (principalmente na região que é de divisa com municípios de Pernambuco historicamente conhecidos como rota do crime organizado) e a dificuldade das famílias em conter o acesso de crianças e adolescentes a drogas lícitas e ilícitas. No encerramento da reunião, a promotora Sandremary disse que “será um desafio colocar em prática as constatações deste encontro, com vistas a favorecer a qualidade de vida da população”.

Segundo Vasti Cléa, em todos os locais visitados, a equipe da Corregedoria-geral enfatizou a necessidade do fortalecimento dos laços de respeito nas famílias e a importância da atuação em rede visando à construção de diagnósticos para a elaboração de políticas públicas. Ela também mencionou que tem presenciado relatos de profissionais comprometidos e qualificados, sendo importante o amadurecimento da rede para o enfrentamento dos desafios postos. “É preciso nos reunirmos mais, conversarmos mais; para confrontar as situações tristes presentes em nossa sociedade”.