CGMP inicia correição nas Promotorias de Justiça de Catolé do Rocha e Pombal

A Corregedoria-Geral do Ministério Público (CGMP) iniciou, nessa segunda-feira (16/08), os trabalhos de correição ordinária nos cargos das promotorias de Justiça de Catolé do Rocha e Pombal, no sertão do Estado. Estão sendo correicionados os promotores de Justiça Ítalo Mácio de Oliveira Souca e Stoessel Wanderley de Sousa Neto (que atuam em Catolé do Rocha) e Thomaz Ilton Ferreira dos Santos e Leidimar Almeida Bezerra (que atuam em Pombal).

Os trabalhos foram iniciados pelo corregedor-geral, o procurador de Justiça Alvaro Gadelha; a subcorregedora-geral, a procuradora de Justiça Kátia Rejane Lucena, e os três promotores-corregedores, Clístenes Holanda, Rodrigo Pires de Sá e Anne Emanuelle Malheiros, através de reunião inaugural realizada por videoconferência com os membros correicionados.

Alvaro reiterou o compromisso da Corregedoria como órgão orientador, cujo objetivo “é promover o diálogo e a harmonia na instituição, respeitando as peculiaridades locais de cada Promotoria de Justiça”. Também falou sobre o novo modelo de trabalho, que surgiu como uma necessidade em razão da pandemia da covid-19 e que por isso está sendo marcado por reuniões e análises feitas de forma remota. Segundo ele, o sistema deve ser aprimorado e continuar de forma híbrida.

A subcorregedora-geral falou sobre a satisfação de estar com os promotores de Justiça correicionados e reforçou o propósito e o desejo da CGMP de manter o Ministério Público paraibano unido e de receber sugestões dos membros para dinamizar a instituição.

Metodologia

Os três promotores-corregedores explicaram a nova metodologia de trabalho, que passou a ter uma nova dinâmica, na qual cada promotor-corregedor éresponsável por verificar a atuação extrajudicial e judicial do cargo do promotor correicionado, elaborando ao final um relatório que poderá trazer, a depender do que for constatado, orientações, recomendações ou deterrminações. Tudo com o objetivo de dar mais efetividade ao trabalho realizado pela instituição em prol da sociedade e da justiça.

Além de analisar a atuação dos membros correicionados por meio dos sistemas MP Virtual, Thoth e PJe, a equipe da corregedoria fará entrevistas individuais com cada membro correicionado, ocasião em que eles poderão falar sobre as dificuldades e necessidades enfrentadas no exercício do cargo e reivindicar a soluções para problemas existentes.

Os promotores de Justiça de Catolé do Rocha e de Pombal reconheceram a importância do trabalho da Corregedoria, falaram sobre os desafios da atuação ministerial sobretudo no contexto pandêmico e parabenizaram a postura da equipe por primar pelo diálogo.