Promotoria da Saúde realiza audiência sobre prevenção ao suicídio

O Corpo de Bombeiros deve apresentar à Promotoria de Defesa dos Direitos da Saúde da Capital dados estatísticos do mapa da violência que apontam a evolução das mortes por suicídio no estado. Os dados servirão de base as iniciativas de prevenção ao suicídio.

A medida foi acordada durante audiência promovida pela 1ª promotora de Justiça dos Direitos da Saúde, Jovana Tabosa, na tarde desta terça-feira (5), na sala de sessões da sede da Procuradoria-Geral de Justiça. Segundo a promotora, a audiência teve como objetivo dar continuidade aos trabalhos de prevenção aos suicídio na Capital.

A audiência teve a participação do coordenador do Núcleo de Políticas Públicas do Ministério Público, procurador Valberto Lira; do procurador da República José Guilherme Ferraz; da coordenadora do Serviço Social do Hospital Edson Ramalho, Jacilene Rodrigues, e da ´psicóloga do hospital, Aline Lucena; dos representantes do Corpo de Bombeiros, tenente-coronel Erik Francisco Oliveira e tenente José Carlos da Silva Júnior; da corodenadora do Serviço social do Hospital de Valentina, Lielma Oliveira, juntamente coma psicóloga Mariângela Aciole; dos representantes do Conselho Regional de Psicologia, Leandro Roque e Andréia Carvalho; e da diretora técnica do Hospital Arlinda Marques, Fernanda Lúcia de Sousa; da secretária adjunta de Saúde da Capital, Ana Giovanna Medeiros.

 

Procedimento

A audiência faz parte do Procedimento Administrativo nº 268/2018, que foi instaurado epla Promotoria da Saúde para acompanhar o atual quadro de suicídio registrado na Capital, bem como, para fiscalizar a implantação e implementação da Portaria nº 3.491, de 18 de dezembro de 2017, do Ministério da Saúde, a qual institui incentivo financeiro de custeio para desenvolvimento de projetos de promoção da saúde, vigilância e atenção integral à saúde, direcionados para prevenção do suicídio no âmbito da Rede de Atenção Psicossocial do Sistema Único de Saúde (SUS).