Projeto de acompanhamento psicológico é apresentado no GT de Prevenção ao Suicídio

O projeto “Ressignificando vidas”, desenvolvido no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, foi apresentado, na manhã desta segunda-feira (6), durante reunião do grupo de trabalho, coordenado pelo Ministério Público da Paraíba, para debater ações e políticas públicas para prevenção ao suicídio, assistência e posvenção. A reunião foi realizada na sala de sessões da sede da Procuradoria-Geral de Justiça.

A reunião foi presidida pelo coordenador do Núcleo de Políticas Públicas do MPPB, procurador Valberto Lira, e contou com a participação da promotora da Saúde de João Pessoa, Jovana Tabosa, e de representantes da Associação Brasileira de Psiquiatria, Alfredo Minervino; do Ministério da Saúde, das Secretarias de Saúde do Estado e da Capital, Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal da Paraíba, Hospital de Trauma, Centro de Valorização da Vida (CVV), Polícia Militar.

Segundo a coordenadora do projeto, psicóloga Anne Michele Paiva, através do projeto, pacientes que são atendidos no Hospital de Trauma por tentativa de suicídio são acompanhados por seis a 10 semanas após a alta. Esse acompanhamento é composto por atendimento psicológico semanal e psiquiátrico quinzenal.

Ainda conforme a coordenadora, o projeto teve início em setembro de 2017 após o setor de psicologia do hospital constatar o aumento no número de tentativas de suicídio. Ela explicou que, normalmente, o paciente recebe atendimento psicológico durante todo o período em que permanece internado, mas foi verificada a necessidade de estender esse atendimento depois da alta. “Nosso objetivo é estabilizar o paciente e promover a ressignificação da vida”, disse.

Ainda durante a reunião, a promotora Jovana Tabosa ressaltou a importância de criação de um Grupo de Apoio aos Enlutados do Suicídio (GAES) e de um Cento de Referência de Prevenção ao Suicídio nos municípios. Ela mencionou ainda que, atualmente, há destinação de recursos por parte do Ministério da Saúde para que alguns estados do Brasil desenvolvam ações de saúde de prevenção ao suicídio, e registrou que a Paraíba não está sendo contemplada por tais recursos. O procurador Valberto Lira relatou que possivelmente a Paraíba não está incluído no rol dos estados que recebem recursos do Ministério da Saúde, em virtude das subnotificações.

 

Encaminhamentos

Ficou deliberado que a Secretaria de Saúde do Município vai encaminhar ao GT os dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) que estejam relacionados à questão do suicídio. Além disso, o projeto “Ressignificando vidas” deve ser encaminhado às Secretarias de Saúde do Estado e Município para replicarem com suas equipes. Também será criado um protocolo de encaminhamento de casos de tentativa de suicídio para atendimento psicológico e psiquiátrico, inclusive para o Ambulatório de Psiquiatria da UFPB.