Corregedoria-Geral inicial correição em cargos de cinco promotorias do Sertão

A Corregedoria-Geral do Ministério Público da Paraíba deu início, nessa segunda-feira (04/07), aos trabalhos de correição ordinária nas Promotorias de Conceição, São José de Piranhas, Princesa Isabel, Água Branca e nos cargos de 1º a 3º e 5º promotor de Cajazeiras.

A reunião inaugural da correição foi realizada na tarde da segunda-feira por videoconferência. Participaram o corregedor-geral, Alvaro Gadelha Campos; a subcorregedora-geral, Kátia Rejane Lucena; os promotores corregedores Anna Emanuelle Malheiros, Rodrigo Pires e Artemise Leal (que substitui nas férias o promotor Clístenes Holanda); e os promotores correicionados Eduardo Barros Mayer (titular de Princesa Isabel); Alexandre José Irineu (1º promotor de Cajazeiras), Fabiana Pereira Guedes (2ª promotora de Cajazeiras), Sávio Pinto Damasceno (em substituição no 3º cargo de Cajazeiras e em São José de Piranhas), Simone de Souza Oliveira Lima (em substituição no 4º cargo de Cajazeiras), Levi Emanuel Monteiro de Sobral (titular de Conceição), Elmar Thiago Pereira de Alencar (titular de Água Branca) e  Carlos Davi Correia Lima (que substituiu Conceição). 

O corregedor-geral Alvaro Gadelha iniciou sua fala destacando o novo perfil da Corregedoria com foco no papel orientador e centrado no diálogo com os membros. “Nosso propósito é colher o que há de melhor, enaltecer o trabalho que vem sendo feito pelos promotores. Gosto do diálogo, da conversa, de discutir nossa instituição com o sentido de aprimorá-la”.

A subcorregedora Kátia Rejane Lucena também apontou a missão de estar ao lado dos membros para facilitar o trabalho de todos. “Nossa missão maior é a orientação para termos resultados positivos para nós da Corregedoria e para a nossa instituição”, afirmou.

O promotor Rodrigo Pires apresentou a metodologia que vem sendo adotada pela Corregedoria que realiza a correição durante duas semanas. A primeira semana é dedicada à avaliação dos trabalhos do promotor por meio do acesso aos sistemas. Já na segunda semana a equipe do órgão correicional vai até a promotoria para uma entrevista pessoal presencial com o promotor. “É o momento de conhecer as dificuldades, saber ideias e o que não consegue captar a partir dos procedimentos”, destacou o promotor acrescentando que é o melhor momento para o membro relatar ações que resultaram em bons frutos.

A promotora Anne Emanuelle Malheiros falou sobre o seu crescimento pessoal e profissional nesse período atuando na Corregedoria e ressaltou que a entrevista é a oportunidade que o promotor tem de apresentar seu trabalho para registro das boas práticas. 

A promotora Artemise Leal agradeceu o convite para substituir o promotor Clístenes Holanda nas férias e declarou que serão duas semanas de trabalho profícuo com vista ao aprimoramento da instituição e fortalecimento das boas práticas já adotadas. “Espero contribuir durante este mês”.

Os promotores correicionados enfatizaram a importância desse novo perfil da Corregedoria. O promotor Alexandre Irineu também falou sobre os serviços prestados há 31 anos na instituição. Já o promotor Carlos Davi Lima salientou o papel orientativo do órgão para o aprimoramento e qualidade do trabalho dos membros. O promotor Eduardo Mayer falou sobre o trabalho realizado na pandemia para atender a clientela do MP no coletivo e no individual. 

A promotora Simone Lima agradeceu a oportunidade de fala na reunião inaugural e falou sobre seu trabalho na busca de resolutividade para a sociedade. A promotora Fabiana Guedes afirmou que esse novo olhar da Corregedoria tranquiliza o membro que quer sempre entregar o melhor trabalho para a sociedade. O promotor Elmar Alencar também destacou esse novo papel do órgão correicional.

O promotor Sávio Damasceno também realçou esse caráter de orientação e disse que com união o Ministério Público sai ganhando. Por fim, o promotor Levi Sobral agradeceu a oportunidade e falou sobre o atendimento e orientação que vem tendo por parte da Corregedoria.