Jogos finais do Paraibano terão torcida única para garantir segurança dos torcedores

Os jogos finais do Campeonato Paraibano de Futebol, marcados para os dias 1º e 8 de abril, nos estádios Amigão e Marizão, respectivamente, serão realizados com torcida única da equipe mandante. A medida visa evitar conflitos entre torcidas rivais e garantir a segurança dos torcedores, das equipes e da populaçao que reside em torno dos equipamentos desportivos.

A decisão foi deliberada na reunião promovida, na manhã desta quinta-feira (30/03), pelo Núcleo de Desporto e Defesa do Torcedor do Ministério Público da Paraíba (Nudetor/MPPB) com órgãos de segurança pública e a Federação Paraibana de Futebol (FPF), no auditório do Batalhão da Polícia Militar, em Campina Grande.

Conforme explicou o coordenador do Nudetor e presidente da Comissão Permanente de Prevenção e Combate à Violência nos Estádios da Paraíba, o promotor de Justiça Romualdo Tadeu de Araújo Dias, os órgãos se reuniram para definir a posição da comissão quanto ao pedido encaminhado pelo presidente do Sousa Esporte Clube sobre a possibilidade de o jogo entre o Sousa e o Treze Futebol Clube ser realizado com torcida única do clube mandante no estádio Marizão, tendo em vista o histórico de confronto, dentro e fora do campo, entre as torcidas das duas equipes.

O promotor de Justiça lembrou que na reunião realizada no último dia 15, por solicitação da FPF, foi permitido, para a semifinal do campeonato, o ingresso das torcidas visitantes nos estádios de futebol, em razão do clima de tranquilidade e harmonia entre as torcidas dos times envolvidos. Nessa fase do campeonato, foram registradas poucas ocorrências de incidentes, prevalecendo a segurança do torcedor.

O cenário, no entanto, não é o mesmo para os jogos da fase final do campeonato, segundo os representantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, que se posicionaram pela realização das partidas com torcida única, devido ao histórico de rivalidade entre os torcedores dos times envolvidos.

A presidente da da FPF também informou a ocorrência de várias situações de embates entre as torcidas, não só entre o Sousa e Treze, e destacou que todos foram devidamente punidos com perda de mando de campo. Ela também se posicionou pela realização dos jogos com torcida única do time mandante.

Relatórios

Segundo o promotor de Justiça, a decisão está fundamentada nos relatórios apresentados pelos órgãos de segurança que evidenciam o histórico de rivalidade entre as torcidas do Sousa e do Treze. Dois episódios foram destacados na reunião. O primeiro aconteceu no dia 10 de abril do ano passado, quando houve confronto entre torcedores das duas equipes dentro e fora do estádio, no município de Sousa.

O segundo episódio destacado refere-se ao último dia 27 de fevereiro, quando um ônibus que transportava torcedores do Nacional de Patos com destino ao Sertão foi atacado. “É direito do torcedor a segurança nos locais onde são realizados os eventos esportivos antes, durante e após a realização da partida, mediante as condições estabelecidas em lei, contudo, diante de todo esse cenário apresentado, inclusive, através de relatórios documentos pelos Comandos Regionais de Campina Grande e Patos, fica impossível, a bem da segurança do próprio torcedor, permitir a realização dos jogos da final do Paraibano com a presença de torcida visitante, o que conforme o princípio da reciprocidade, deve ser aplicado a ambas as praças esportivas”, explicou.

Encaminhamentos

Os clubes que disputarão a final do Campeonato Paraibano de Futebol serão oficiados para que adotem as providências necessárias quanto à logística de vendas de ingressos.

O presidente do Sousa Esporte Clube também será oficiado para que, no dia do jogo, as catracas estejam funcionando adequadamente, de modo a não permitir o ingresso de qualquer pessoa acima do limite da capacidade estabelecida pelo Corpo de Bombeiros para o estádio. Ele também será orientado a desobstruir as saídas de emergências do estádio, ficando a cargo do Corpo de Bombeiros a verificação da regularidade.