Mais nove promotores de Justiça são empossados em cargos da segunda entrância

Membros foram beneficiados por alteração legislativa que possibilitou promoção por salto e o preenchimento de cargos vagos no sertão do estado

A tarde desta quinta-feira (03/11) foi marcada pela posse coletiva de nove membros do Ministério Público da Paraíba em cargos de segunda entrância de sete promotorias de Justiça do interior. O grupo (formado por quatro mulheres e cinco homens) chegou à entrância intermediária da instituição, numa ‘promoção por salto’, ainda em cumprimento do estágio probatório, graças à mudança na legislação interna, que evitou o travamento da carreira e possibilitou o preenchimento histórico de cargos vagos, principalmente, no sertão do estado. Todos foram aprovados no último concurso realizado pela instituição, na qual ingressaram no ano passado.

A solenidade de posse foi presidida pelo procurador-geral de Justiça, Antônio Hortêncio Rocha Neto; acompanhada pelos procuradores de Justiça, Alvaro Campos Gadelha (corregedor-geral), Aristóteles de Santa Ferreira (ouvidor), José Roseno Neto (2º subprocurador-geral), e pelos promotores de Justiça, Leonardo Quintans (presidente da Associação Paraibana do Ministério Público) e Rodrigo Marques da Nóbrega (secretário-geral); e prestigiada por amigos e familiares dos empossados e por servidores do MPPB.

Empossados
Tomaram posse: Simone de Souza Oliveira Lima (como 3ª promotora de Justiça de Cajazeiras); Arthur Magnus Dantas de Araujo (1º promotor de Justiça de Catolé do Rocha); Izabella Maria de Barros Santos (5º promotora de Justiça de Sousa); Renato Martins Leite (2º promotor de Justiça de Itaporanga), Fernanda Pettersen de Lucena (2ª promotora de Justiça de Sousa), Rafael de Carvalho Silva Bandeira (promotor de Justiça de São Bento), Rebecca Braz Vieira de Melo (2ª promotora de Justiça de Pombal), Victor Joseph Widholzer Varanda dos Santos (6º promotor de Justiça de Sousa) e Sávio Pinto Damasceno (Promotor de Justiça de São José de Piranhas).

Seleto grupo
O procurador-geral, Antônio Hortêncio, destacou que os empossados fazem parte de um seleto grupo de membros da instituição que está vivenciando uma situação nova na carreira, que é a promoção por salto. Isso, porque eles estavam sendo promovidos à entrância intermediária depois de apenas um ano de ingresso na instituição, enquanto outros levam até duas décadas para alcançar esse nível na carreira. “Sinto-me muito lisonjeado e feliz por estar participando desse momento; por ter redigido a minuta para a mudança da lei (ainda quando secretário-geral), que destravou a carreira dos membros do MP, e por estar viabilizando a posse do segundo grupo de promotores recém-concursados, na posição de procurador-geral. Tudo foi construído para que a instituição e, principalmente, a sociedade fosse beneficiada. Desejo sorte, felicidade, dedicação e muito trabalho realizado!”, disse.

“Temos que aplaudir”
O corregedor-geral, Alvaro Gadelha, saudou aos colegas promotores e aos seus familiares, destacando que estes estavam testemunhando um dos momentos mais felizes na carreira de um membro do Ministério Público, que é a posse por promoção. “Temos que aplaudir o trabalho que vocês estão fazendo no sertão do Estado. Parabéns por terem chegado, em tempo tão curto, à segunda entrância. Vocês merecem! É o reconhecimento de um trabalho que estamos, pessoalmente, fiscalizando. Essa ascensão deve ser comemorada”, destacou o procurador, acrescentando que a Corregedoria estava à disposição para orientação e apoio aos novos promotores da 2ª entrância.

“Outras melhorias virão”
O ouvidor Aristóteles Ferreira fez um retrospecto da sessão do Colégio de Procuradores, ainda na gestão do procurador-geral Francisco Seráphico, na qual ele teria provocado o colegiado para discutir a quebra da cláusula de barreira que impedia um promotor substituto (em início de carreira) a ser promovido a uma entrância superior, por salto. “Outras melhorias virão. O colegiado está discutindo a mobilidade da classe e isso é importante para a sociedade, porque garante o preenchimento dos cargos nas promotorias mais distantes da capital. Parabenizamos à administração que percebeu que era melhor promover por salto a deixar uma promotoria com cargo vago e a dificuldade de ter de lidar com o preenchimento pela substituição”, lembrou.

Sangue novo
O presidente da APMP, Leonardo Quintans, repetiu ao grupo o que vem dizendo nas últimas posses por promoção, que têm sido frequentes na instituição: “A chegada dos novos promotores renova a esperança de continuarmos vendo essa instituição forte e pujante. O ‘sangue novo’ de vocês misturando-se à experiência dos mais antigos produzem excelentes frutos. Vocês estão realizando um brilhante trabalho no sertão. A APMP está sempre de portas abertas, ela é a casa do promotor”, disse, parabenizando a administração por estar colocando a “instituição em movimento, entregando ainda mais à sociedade, que tanto espera e precisa do MP”.

Extremamente acolhidos
Em nome dos empossados, falou o promotor de Justiça Victor Joseph. Ele saudou a todos e disse que, se pudesse resumir o momento com uma palavra, esta seria ‘gratidão’. Ele reconheceu a situação excepcional que fez com que ele e os colegas pudessem alçar a promoção, ainda em estágio probatório. “Agradeço à instituição e a esse estado. Não somos nativos, mas todos nos sentimos extremamente acolhidos pela administração do MP e pelo povo. Estamos à inteira disposição do MP e da sociedade para fazer o que for mais junto, mais correto e mais coerente em todas as nossas atividades institucionais”, disse o promotor que é natural do Rio de Janeiro, mas demonstrou o desejo de servir ao povo paraibano e se aposentar nesta terra.

Veja galeria de fotos