Planejamento: promotores da região de CG constroem ações para serem executadas pelo MPPB

Seplag mantém abertas as inscrições para a oficina de João Pessoa, que vai ocorrer na próxima segunda-feira

No segundo Workshop “Construindo Ações” do Planejamento Estratégico 2022-2029, membros do Ministério Público da Paraíba que atuam em 20 promotorias de Justiça da região polarizada por Campina Grande apontaram as ações que consideram essenciais para serem executadas pelo MPPB, nos próximos anos. A oficina foi realizada na tarde desta segunda-feira (29/11), no Hotel Garden, em Campina Grande. O terceiro e último encontro acontecerá na próxima segunda-feira (06/12), no Centro de Convenções de João Pessoa. As inscrições ainda podem ser feitas AQUI.

O procurador-geral de Justiça, Antônio Hortêncio Rocha Neto, abriu o encontro, ao lado dos procuradores de Justiça, Aristóteles de Santana Ferreira (ouvidor) e Benedito Torres (integrante da Corregedoria Nacional), e dos promotores de Justiça, Anne Emanuelle Malheiros (membra da Corregedoria-Geral do MPPB), Rodrigo Marques (secretário-geral), Leonardo Quintans (presidente da Associação  Paraibana do Ministério Público) e Arlindo Almeida (promotor aposentado). Compareceram ao evento membros que atuam nas unidades de Alagoa Grande, Alagoa Nova, Areia, Boqueirão, Campina Grande, Cuité, Esperança, Guarabira, Ingá, Juazeirinho, Monteiro, Picuí, Pocinhos, Queimadas, São João do Cariri, Serra Branca, Soledade, Sumé, Taperoá e Umbuzeiro.

Antônio Hortêncio  agradeceu a presença de todos, destacou a importância dessa fase que marca o início do  ciclo que será iniciado em 2022, ressaltando que, na oficina, os membros iriam apontar ações dentro dos seis programas da área finalística que foram priorizados por membros dos órgãos da administração superior, no encontro que antecedeu as oficinas. Ele fez comunicações administrativas de interesse dos membros e conduziu uma homenagem ao promotor aposentado Arlindo Almeida, que aderiu ao programa de aposentadoria do MPPB. O PGJ destacou os anos de trabalho dedicados à instituição e afirmou que o promotor é uma referência para o MP. Arlindo Almeida, por sua vez, recebeu as palmas dos colegas emocionado e agradeceu pelos 28 anos que pôde contribuir como promotor de Justiça em Campina Grande. 

Pensando a instituição
A promotora corregedora Anne Emanuelle, que representou o corregedor-geral, Alvaro Gadelha, deu as boas-vindas aos colegas e destacou que era uma honra para o órgão correicional apoiar o evento. “O papel da corregedoria nesses workshops é demonstrar o apoio na questão de parar a instituição e as ações que devem ser implementadas para que tenhamos sempre um Ministério Público coeso, orquestrado e unido em prol da sociedade”, disse. 

O promotor Leonardo Quintans falou em nome da classe, também demonstrando o apoio da APMP ao planejamento estratégico e destacando o quando esse momento de pensar as ações da instituição era importante para o seu fortalecimento e crescimento. Ele parabenizou a Seplag e a Diretoria Administrativa pela organização dos eventos. Ele também elogiou o trabalho do promotor Arlindo Almeida, destacando que, mesmo com a aposentadoria, os laços com a instituição não se rompem.  

A oficina 
A secretária de Planejamento e Gestão, Cristiana Vasconcellos, fez a apresentação sobre as fases anteriores da definição do planejamento estratégico, desde a adesão ao Planejamento Estratégico Nacional (PEN/CNMP), passando pela construção da identidade visual e da adaptação da metodologia. Ela apresentou os programas finalísticos e estruturais priorizados pela instituição. Após as saudações e exposições iniciais, os participantes foram divididos em seis grupos, formando as mesas de trabalho da oficina. 

Os trabalhos foram conduzidos por Cristiana, ao lado do diretor de Planejamento, Vinícius Cesáreo, com o apoio de uma equipe de facilitadores, composta por servidores da Seplag e da DIADM. Os membros puderam analisar e propor ações para cada programa da área finalística e, em uma etapa final, eleger entre todas as ações sugeridas as que seriam prioritárias nos próximos anos. Essas diretrizes serão publicadas somente ao final da série de oficinas com o objetivo de conservar o poder de decisão dos membros que estão participando de forma escalonada dos três workshops. 

Leia mais: