Algoritmo: OGP identifica, localiza e prende servidores públicos acusados de crimes

O Observatório da Gestão Pública (OGP) alcançou mais um resultado dentro da força-tarefa “Algoritmo”, que utiliza a tecnologia para detectar, localizar e prender foragidos da Justiça. Na manhã desta segunda-feira (08/08), a Polícia Militar cumpriu nove mandados de prisão contra sete homens e uma mulher, servidores públicos das prefeituras de Campina Grande, Bayeux, João Pessoa e Pitimbu. Os crimes foram cometidos individualmente (não são correlacionados) e, entre eles estão acusações de estupro, peculato e homicídio.

O OGP utiliza uma ferramenta desenvolvida pelo Núcleo de Gestão do Conhecimento – órgão que coordena o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público da Paraíba (Gaeco/MPPB). Na ação desta segunda-feira, a PM atuou na investigação (Inteligência) e no cumprimento efetivo dos mandados de prisão expedidos pelo Poder Judiciário.

De acordo com o NGC/Gaeco, “a operação é fruto de diversos cruzamentos de informações procedidos em banco de dados públicos e busca uma maior eficiência do ecossistema público e suas decisões, com o incremento da integridade, sendo um dos objetivos principais do Observatório e seus mais diversos órgãos”.

Os presos
De acordo com a PM, os presos são dois servidores públicos municipais de Campina Grande, um acusado de furto e o outro com pendência de pagamento de pensão alimentícia; três servidores da Prefeitura de Bayeux: médico anestesiologista (acusado de peculato - Lei 2.848 Artigo 312), um motorista e um agente comunitário ligados à Prefeitura de Bayeux, acusados de estupro (Lei 2.848, Artigo 217); uma pensionista da Prefeitura de João Pessoa, acusada de estelionato (Lei 2.848, Artigo 171); um motorista e um servente de pedreiro, também servidores da PMJP, por pendência em pagamento de pensão alimentícia e homicídio (Lei 2.848, 121), além de um agente de trânsito da Prefeitura de Pitimbu, acusado de lesão corporal e homicídio (Lei 2848, Artigos 121 e 29).

Atualização

Mais um mandado de prisão preventiva foi cumprido nesta quarta-feira (10/08) pela Polícia Militar contra um professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), acusado da prática de estupro (crime tipificado no artigo 213 do Código Penal). 

As informações repassadas sobre a operação são parciais. Este material poderá ser atualizado ao longo do dia.